CICLISMO e CICLOATIVISMO
A DGE Corretora de Seguros apresenta seu servico de Seguro de Bicicletas - voce NAO VAI SE LIVRAR da famosa "ficha cadastral", mas a contratacao pode ser feita 100% on-line e isso e uma coisa otima.

Veja em quais situacoes contar com a DGE Corretora de Seguros:

ROUBO E FURTO QUALIFICADO - protecao contra roubo e furto da bike, durante o uso ou enquanto guardada ou transportada.

ACIDENTES - cobre os custos de reparo ou reposicao em acidente coberto, enquando o Segurado pedala ou transporta a bike.

RESPONSABILIDADE CIVIL - cobertura garantira os danos causados a terceiros durante a vigencia da apolice.

COBERTURA EM TODO O TERRITORIO NACIONAL - protecao em todo o Brasil, alcancando os 26 estados mais o Distrito Federal.

OUTROS PONTOS POSITIVOS A CONSIDERAR

- App Mobile, Central de Beneficios, Pontos Multiplos, Sala de Emergencia, Furto em Territorio Nacional, Danos Materiais a Terceiros, Danos Corporais a Terceiros, Acidente com veiculo transportador, Acidente enquanto pedala, Danos Parciais decorrente de acidente coberto, Pagameto com Cartao de Credito, Parcelamento sem juros, Cobre danos causados durante competicao.

A FICHA CADASTRAL PARA SOLICITAR ORCAMENTO VOCE ACESSA NESTE LINK

https://sites.google.com/site/seguroparabikes/arquivos/Ficha%20Cadastral%20Bike.xlsx

PREENCHA A FICHA E MANDE PARA SEGURO@CICLISMO.ESP.BR
Nosso "BUSCA BIKES"
Ciclismo™ 2003 / 2020
De blusa ou camiseta?

ciclismo
contador de visitas para site

Últimos assuntos
» SEGURO PARA BICICLETA
Ter 3 Maio 2016 - 13:32 por Admin

» São Paulo - SP - Polêmica das ciclovias
Seg 13 Abr 2015 - 20:21 por Admin

» FOR SALE:2014 Bikes,Trek,Scott Genius,Specialized,Cannondale & Giant Anthem Bikes
Seg 24 Nov 2014 - 14:16 por bikemall1

» CTB Código de Trânsito Brasileiro para Ciclistas
Ter 27 Maio 2014 - 13:56 por cypriano

» SOROCABA - SP
Ter 13 Maio 2014 - 20:17 por sergio_moraes

» Opinião SCOTT Speedster 50 2013 x Specialized ALLEZ 2014???
Sab 30 Nov 2013 - 23:42 por Alan Ricardo

» scott scale 970 x specialized carve comp????
Qui 21 Nov 2013 - 17:55 por Valmir Dimas de Andrade

» Bike no Paraguai
Qui 21 Nov 2013 - 8:59 por Valmir Dimas de Andrade

» Ideias para Presente com Desconto?
Sex 25 Out 2013 - 16:32 por brendaaa-santos-86

» Mundial de BMX 2013 - final
Qua 9 Out 2013 - 11:14 por Admin

» Ciclofaixas em Nova Iorque
Qua 2 Out 2013 - 14:11 por Admin

» Ciclovia musical - São Paulo - SP
Sex 23 Ago 2013 - 13:33 por Admin

» VELOCIDADE MÉDIA EM PERCURSO DE TREINO SPEED
Qua 23 Jan 2013 - 10:44 por leoquimico

» Ass savers - salve seu traseiro
Ter 1 Jan 2013 - 14:02 por Admin

» Bicicleta de PAPELÃO
Sab 29 Dez 2012 - 21:49 por Admin

Junte-se ao "Team Paraná"

Mundo das Bikes!

Indique aos amigos!
FaceBikers - clique e entre nesse Grupo!
Social bookmarking

Social bookmarking digg  Social bookmarking delicious  Social bookmarking reddit  Social bookmarking stumbleupon  Social bookmarking slashdot  Social bookmarking yahoo  Social bookmarking google  Social bookmarking blogmarks  Social bookmarking live      

Partilhe com seus amigos e fique antenado!

Conservar e compartilhar o endereço de CICLISMO e CICLOATIVISMO em seu site de social bookmarking

Quem está conectado
2 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 2 Visitantes

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 71 em Sab 9 Jun 2012 - 9:51

Janaína - texto de Cristiano Castilho

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Janaína - texto de Cristiano Castilho

Mensagem por Admin em Dom 27 Fev 2011 - 14:33

Ela vem toda de branco, molhada e despenteada pela chuva de verão. Roda, roda, roda e nem liga para quem torce o pescoço e busca detalhes ao olhar mais por baixo, para algumas de suas partes mais escondidas. Fez aniversário no último dia 2. Dia de Iemanjá. Comemorou indo ao médico, um sujeito magro e alto, de mãos grandes e pretas de graxa. Resolveu seus problemas com uma internação de dois dias que custou R$ 50. Não conseguia parar, a Janaína. Esse era o seu problema. E esse é o nome dela.

Janaína avança por entre as pessoas, interrompe conversas alheias ao se meter em espaços entre casais em namoricos sem dizer um a sequer. Masnão é que não seja simpática, a Janaína. É que entre brutamontes vermelhos e cinzas, que andam por aí todos os dias, ela, pacientemente, fica na dela. Até tenta se enturmar, mas não lhe dão espaço.

Dorme em um quartinho de empregada, ao lado de ferramentas e uma velha estante de madeira. Acorda às 8 horas, não come nada. Sai de ré e faz algum barulho. Então, com gosto, monto nela, que ganha a rua e o caminho da roça. No trabalho, fica pendurada de pernas para baixo. Balança, treme, mas não reclama. Estática, permanece por cinco, seis horas. Até descer do gancho que a penetra, mas que a segura.

Seu balançar e sua beleza são tão atraentes que certo dia um amigo, abusando da amizade de anos, me pediu Janaína emprestada. Iria aparecer em um comercial de tevê, foi o que me contou. Motivo de orgulho. Um pouquinho de ciúme pelas cinco horas que passou não sei onde. Levou bagagem nas costas, mas também um troco. E no comercial, depois de verificada sua beleza, passou de coadjuvante a algo mais honroso. Eu iria contar a todos o sucesso da Janaína. Gosta de sair à noite. Curtir as pedrinhas brilhantes do asfalto, o cheiro de mormaço depois da chuva e as outras e outros iguais a ela que vê amarrados por aí, em postes tristes e em placas de “proibido estacionar”.

Oxalá eu nunca perca Janaína. Então a amarro forte, com uma corrente grossa que dá duas voltas em seu corpo branquinho e esguio. Ela não reclama. Na volta, tiro o ferro com delicadeza e subimos juntos a ladeira, devagarinho, por sobre a faixa amarela no canto da rua. No caminho, quando não estou ouvindo música, conversamos. Ela diz que se sente ameaçada no dia a dia. Que não há um lugar específico e útil para que desempenhe tudo aquilo que é capaz. Que sente que seus direitos não são iguais, que é desmerecida e vista com maus olhos. Que atrapalha. Eu concordo, e digo que também queria que as coisas fossem diferentes, como há algumas décadas atrás, quando similares a ela enchiam as ruas. Mas há de mudar.

Às vezes, quando meu corpo está sobre o dela, Janaína me pede encarecidamente para que não andemos na contramão ou para que olhe para os dois lados antes de atravessar alguma rua mais movimentada. Chegamos em casa suados, cansados. A devolvo em seu quarto de dormir. O boa noite acontece quando encosto meu pé em seu pezinho. Ela vira de lado. Vou para minha cama já pensando nas pedaladas que darei em Janaína, minha bicicleta, na manhã seguinte.

Jornal Gazeta Do Povo - Publicado em 05/02/2011
avatar
Admin
Master

Masculino
Número de Mensagens : 515
Idade : 49
Humor : ácido, constante
Data de inscrição : 21/02/2008

http://www.ciclismo.esp.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum